Com um lançamento restrito apenas aos serviços de streaming nacionais, chega às plataformas digitais o documentário Histórias e Rimas: O Filme. A produção, dirigida pelo publicitário Rodrigo Gianetto, mostra entrevistas gravadas no período de uma década, entre 2009 e 2019 mais precisamente, com nomes grandes e expoentes (que alcançaram o estrelato anos depois) do Hip Hop brasileiro. Artistas como Mano Brown, Emicida, Edi Rock, Karol Konká, Marcelo D2, B Negão e André Ramiro (mais popularmente conhecido como o policial André Matias em Tropa de Elite), compõem o espectro musical do documentário.

Com cerca de 90 minutos de duração, um tempo curto para tratar de um assunto tão vasto e importante como o Hip Hop nacional, o documentário já se mostra diferente das demais produções do gênero. A começar pelas entrevistas, um compilado de depoimentos dos rappers que contam relatos de como começaram no meio, daquilo que os levou a escrever as rimas, de como a música salvou a vida de muitos, etc. Editadas com a intenção de o espectador se sentir em um "rolê", tendo a impressão de estar ali, com os artistas, "trocando uma ideia numa boa", as entrevistas acabam por focar mais nas vidas deles, do que na tal história do Hip Hop em si.

O Hip Hop brasileiro não é apenas baseado nas lutas diárias de quem está cantando. É também sobre amor, conhecimento, a forma de se pensar na vida. Esses elementos faltaram ser explorados na produção. Não sou o maior entendedor de Hip Hop – reconheço existirem especialistas na área –, mas achei que uma parte muito maior da música foi deixada de lado e teria feito uma diferença brutal para contar essas histórias. Acrescido a isso, está o fato de um documentário sobre Hip Hop não usar uma trilha sonora sequer durante todo o decorrer o filme. Isso acabou por me distanciar (muito) da história.

Histórias e Rimas tinha o potencial para se tornar um marco documental sobre a vastidão que é o Hip Hop brasileiro. Mas, com escolhas infelizes na direção e no roteiro, a produção apenas fala passivamente de uma arte que cresce e se desenvolve a cada dia no Brasil.







Comentários