No próximo domingo (22) acontecerá a cerimônia principal de premiação do 71º Primetime Creative Arts Emmy Awards. O Emmy, para os íntimos, premia os melhores programas de televisão dos Estados Unidos, e na edição deste ano, estão concorrendo os melhores programas (na visão da Academia de Artes e Ciências da Televisão) que foram exibidos entre 1º de junho de 2018 até 31 de maio de 2019.

Para celebrar essa premiação, a InfoGeek preparou um especial do Emmy para cada programa que recebeu destaque nas principais categorias de atuação, direção e roteiro. Aqui nessa matéria, você vai conhecer a sinopse da série, uma breve crítica nossa, e por que ela deve receber a estatueta ou não.

Veja nossas apostas para a série Barry.

Sinopse


Bill Hader é Barry, um matador de aluguel que, um dia, recebe um trabalho para matar alguém em uma classe de atuação. Chegando lá, ele fica impressionado e é tomado pelo encanto do meio. A ideia básica, literalmente do primeiro episódio (da primeira temporada) é esta. Pelo fato de a série já ter três Emmys, você pode imaginar que a história se desenrola bastante a partir daí, né?

Há um humor inteligente, que acaba fazendo críticas, sendo algo impactante em um nível de BoJack Horseman. Uma outra comparação geralmente feita, dada a simplicidade da premissa, é Breaking Bad – um professor que encontra uma forma extrema de viver a vida, no extremo oposto de Barry que já vivia algo assim e "tem seus olhos abertos".

Crítica


No que a primeira temporada mostrava a transição do protagonista entre a "profissão" antiga, a de agora mostra o empenho dele ao tentar melhorar suas habilidades em cena. Agora o maior desafio para Barry é não deixar o passado interferir em sua nova fase de vida. Ele encontrou uma nova forma de se expressar e quer simplesmente enterrar o passado – mas se fosse fácil assim, a história não teria graça.

Novamente, a premissa da temporada soa simples, mas cada detalhe de atuação (digo, de "Bill Hader", não de "Barry") consegue nos passar a noção de ele estar com conflitos pessoais e a todos que estão assistindo fica bem claro: ele não é só mais um ator de comédia. E voltando à leve comparação feita a BoJack Horseman temos outro paralelo bacana, já que cada episódio (apesar de avançar a história e nos mostrar a evolução do protagonista) pode ser analisado de maneira independente – em especial, o sétimo desta segunda temporada.

Esse peso de cada episódio felizmente não é exclusivo da segunda, pois na primeira temporada já tínhamos uma noção bem nítida de como era o impacto a cada cena – tanto que o último episódio é tão intenso que daria um bom final para a série como um todo. O fato de eles terem se superado é surreal.

Barry deve ganhar o Emmy?


Barry concorre como melhor série de comédia junto a outros fortes concorrentes, como a própria Fleabag. Não creio que ganhe nesta, mas ficaria feliz caso aconteça. E bem, Bill Hader já ganhou como melhor ator de comédia pelo seu trabalho na primeira temporada e, como defendi acima, essa última está ainda melhor. Por que não ganhar novamente?

A série também traz o maior número de indicações para uma temporada/atual edição do Emmy, já que temos indicados: Sarah Goldberg como Sally Reed (a "colega de classe" e interesse amoroso de Barry), Stephen Root como Monroe Fuches (uma das figuras paternas, que era o contratante dele enquanto hitman), Henry Winkler como Gene Cousineau (o professor de teatro que dá toda a carga emocional que precisávamos a Barry) e Anthony Carrigan como NoHo Hank (o alívio cômico mais pontual que já vi).

Dentre os quatro, Anthony é o mais improvável, mas é o que mais gostaria de ver vencer. Henry já venceu na edição anterior (pelo mesmo papel) e, com base nesta segunda temporada, poderia muito bem levar novamente. Além disso, ainda há outras três indicações, uma de direção em série de comédia para Bill Hader, outra para Alec Berg e uma última para roteiro (de ambos). O roteiro de Barry é espetacular e, por mim, seria bem merecido se vencessem.

Só temos uma certeza: Barry merece todos os prêmios a que está indicado e levará com certeza pelo menos um por suas atuações.






Comentários