Em 21 de dezembro, o canal do YouTube Star Wars Theory publicou o primeiro fan film de uma série sobre Darth Vader. Se passando logo após os acontecimentos do Episódio III (oito meses após a "morte" de Anakin Skywalker), a proposta de "Shards of the Past" era contar uma história diferente sobre o vilão, desviando do que vimos na trilogia de 1999-2005.

Assista o curta a seguir:


O vídeo alcançou mais de 7 milhões de visualizações em apenas três semanas, alavancando-o para o top 10 de filmes de S.W. feitos por fãs no YouTube – Vader ainda fica atrás dos 18 milhões de views de Darth Maul: Apprentice, por exemplo.

Apesar de pegar emprestado os personagens e o universo da saga ficcional, o roteiro e a própria produção do curta são 100% autorais, indo até mesmo ao ponto de recriar efeitos especiais e a composição de uma trilha sonora original. O canal até mesmo entrou em contato com a Lucasfilm, detentora dos direitos, e afirmou que as condições para o conteúdo ser publicado eram que o vídeo não poderia ser monetizado e não poderia ser fundado pelo público (ou como também chamam "crowfunding"). Infelizmente, a história não acaba aí.

O Império Contra-Ataca


Em 14 de janeiro, Star Wars Theory fez uma publicação que quebrou um pouco do formato anteriormente divulgado pelo canal. No vídeo, o dono do canal e criador de Vader (que assina como "Star Wars Theory") explica um comunicado do YouTube afirmando como a Disney reivindicou ser dona da trilha e, não satisfeita, ativou a monetização do curta e pegou todo o lucro.

No fan film a trilha realmente brinca com o tema clássico da Marcha Imperial (cerca de 1:40 podemos ouvir isso de maneira mais nítida) e é justamente essa ideia de pegar trechos de temas clássicos da saga que o próprio compositor John Williams segue ao longo das três trilogias. O real problema é um nome como Warner Chappell, junto da Disney Music, tomar todo o dinheiro que, de outra forma, não seria arrecadado pelo SWT.

Antes mesmo da alegação, vale verificar o que foi publicado pelo próprio canal:
O projeto foi feito sem a intenção de lucrar e foi pago por mim. Gastei mais de suados 150 mil dólares para trazer a vocês o maior e melhor episódio fan film de Star Wars já feito.
Na descrição de Shards of the Past vemos os direitos bem explicados: "personagens pertencem à Lucasfilm/Disney e essa série não é conectada de nenhuma forma com tais companhias".

No dia seguinte (15), SWT publicou outro vídeo com uma resposta dada pela própria Disney. Lá, ele explica os diferentes acordos amigáveis que tentou fechar com a Lucasfilm, dentre eles a opção de existir o crowdfunding mas a Lucasfilm pegar todo o lucro (no caso, monetizar o filme), sendo assim uma forma de evitar que o dinheiro saísse do bolso do próprio SWT. Porém, eles negaram por "não poder se envolver com nada que não seja da empresa" e mesmo assim permitiram que o curta fosse feito, contanto que seguisse as regras impostas por eles – e o canal seguiu.

Acontece que Star Wars foi vendido para a Disney, portanto, todo tipo de cover musical  baseado em qualquer trilha pertencia agora à empresa de Mickey. Eles estavam tirando dinheiro do que, a princípio, não era monetizado. Caso prestasse qualquer tipo de queixa contra os executivos da empresa, Star Wars Theory provavelmente perderia, conforme conta no vídeo. Vendo a derrota iminente da luta, não havia nada a fazer, a situação era injusta.

Mas os fãs não ficaram satisfeitos com as más notícias.

O Despertar da Força


Horas após esta última atualização, os fãs lotaram sub-reddits relacionados ao universo de Star Wars (em especial o principal, r/StarWars) e mostraram descontentamento nas redes sociais ao se posicionar contra a Disney. A informação circulou em tamanha velocidade e foi levada a uma proporção tão inesperada que a própria Lucasfilm interveio e ordenou, em tom definitivo, que a reivindicação de direitos autorais deveria ser retirada.

Abaixo, uma captura do email recebido pelo canal:


Na noite do dia 16, SWT publicou um último vídeo explicando o ocorrido e agradecendo à Lucasfilm e, claro, aos espectadores. Nas últimas horas, até a manhã de hoje (17), milhares de usuários agradeceram, em diversas redes sociais, à Lucasfilm por ouvir os fãs e não se contentar com injustiças vindo de corporações que visam 100% o capital.

Assim, em questão de horas, os fãs venceram a Disney. Mais importante que isso, provaram o poder da união em prol de um conteúdo genuinamente feito de fãs para fãs. Esse é o poder de Star Wars.






Comentários