Nos últimos dias dessa reta final, rumo a premiação mais esperada do ano, preparamos um especial com os maiores nomes desta edição do Oscar.

Todas as publicações são acompanhadas da sinopse do indicado em questão, uma breve crítica (sem spoilers!), as categorias em que a obra está indicada, sua concorrência e, por fim, nossa aposta para a vitória em cada categoria – com base em histórico de premiações dos responsáveis, filmes do mesmo gênero (de edições passadas) e a recepção do filme pela crítica internacional.

Sinopse


Mildred Hayes (Frances McDormand), mãe de uma filha adolescente estuprada e morta, não consegue suportar o fato de que, após meses do ocorrido, não há solução para o caso. Por isso, ela aluga o espaço de três anúncios para questionar o xerife local Bill Willoughby (Woody Harrelson), travando conflitos com outros policiais – como Jason Dixon (Sam Rockwell) – e colocando a cidade em total tensão.

Crítica


A dose de violência (física e verbal) é equilibrada por uma característica pouco usual em dramas: a comédia, utilizada de forma genial para criar ainda mais atrito entre a protagonista e basicamente todos a sua volta.

Além disso fica uma dica aos aficionados por cinema (ou só para quem curte tentar prever uma história): a cada cena, evite antecipar o desfecho, pois na maioria das vezes você estará errado. Após certo ponto do filme, você desistirá. Portanto, deixe-se levar pela imprevisibilidade.

No longa há uma forma comum de narrativa, mas sua aplicação tem um tom renovado. Como pode-se perceber logo de cara, são intercaladas sempre três visões para contar essa história (justamente a dos três personagens citados na sinopse acima), o que dá um tom de protagonismo fora do comum – e acaba por justificar as indicações na área de atuação.

Indicações


São sete indicações ao todo. Confira a lista de categorias abaixo (junto aos responsáveis por cada nomeação):
  • Melhor filme
  • Atriz (Frances McDormand)
  • Ator coadjuvante (Woody Harrelson)
  • Ator coadjuvante (Sam Rockwell)
  • Roteiro original (Martin McDonagh)
  • Montagem (Jon Gregory)
  • Trilha sonora (Carter Burwell)

Concorrentes


Um dos queridinhos candidatos a vencer o prêmio de roteiro original é Lady Bird, filme "com cara de indie" e temática importantíssima, não importa a idade do espectador. Outro que concorre na mesma categoria – e tem totais chances de vencer – é Corra!, cuja temática polêmica e humor incomum traçam um paralelo no que é feito em Três Anúncios. Gostaríamos de vê-lo vencer, e só temos a apoiar, já que eles levaram os Globos de Ouro por Filme Dramático e Roteiro de Cinema.

A disputa pelo prêmio de trilha sonora original fica difícil quando juntamos John Williams, Hans Zimmer e Alexandre Desplat para concorrer junto a Carter Burwell – indicado pelo trabalho em Três Anúncios, que já concorreu na edição dos Oscars de 2016 com a trilha de Carol. Mesmo vencendo apenas prêmios de menor prestígio, Carter compôs para grandes filmes como Bravura IndômitaOnde os Fracos não Têm Vez e O Grande Lebowski.

Em melhor montagem, Três Anúncios também deve ficar de fora, pois temos Baby Driver Dunkirk como concorrentes. Parte de todo o drama e da credibilidade a uma situação do tipo, devemos dar todos os créditos ao longa, porém, sua proposta sequer chega perto da ação/velocidade de seus adversários.

Levará os prêmios?


Sim, no mínimo os dois de atuação no qual está indicado.

Frances McDormand é indiscutivelmente a favorita. Se levarmos novamente os Globos de Ouro como termômetro (além de preferência clara da crítica), o prêmio dela é merecidíssimo. Por sinal, falando da premiação, outro vitorioso foi Sam Rockwell, e seu destaque deve se repetir no Oscar.




Facebook




Comentários