Escrito por Pedro Spadoni

Sabe quando você está tão atolado de responsabilidades e problemas para resolver que nem sabe por onde começar? Ou pior: quando alguma tragédia ou mudança drástica chacoalha seu mundo e você fica perdido no meio de tudo que está acontecendo? Todos passam (ou passarão um dia) por situações assim. Uma hora ou outra, a vida fica simplesmente pesada demais para segurarmos a barra. Esse é o cenário que o novo single da banda norte-americana Linkin Park, divulgado ontem (16), retrata. A canção Heavy integra a tracklist de One More Light, sétimo álbum do grupo, que estreia dia 19 de maio. E os fãs estão tão animados quanto divididos sobre tudo isso.

Se você já ouviu a música, provavelmente passou por, no mínimo, alguns segundos de estranhamento. É praticamente inevitável. O vocal suave de Chester Bennington, conhecido por estourar suas cordas vocais a cada performance, ao lado da convidada especial Kiiara, cuja participação foi quase mais longa que a dele, envolto em uma atmosfera pop/mainstream te faz questionar a banda, famosa pelo estilo pesado. "Isso nem é Linkin Park", comentaram nas redes sociais. Muito pelo contrário. Isso é Linkin Park.

Falo por experiência própria que quanto mais você descobre sobre o trabalho de um artista, seja músico, ilustrador, escritor etc, mais interessantes suas obras ficam. Caso já tenha ouvido a música, odiado e desistido da banda, mas não sabe uma anedota sobre sua produção, a única coisa que peço é: dê uma segunda chance. Entenda um pouco melhor o mundo por trás deste simplório single.


Não é de hoje que a banda causa polêmica e polarização de opiniões ao lançar um single. Foi assim com What I've Done, do polêmico álbum Minutes to Midnight (2007), The Catalyst, do candidato a álbum que causou mais discórdia até o momento A Thousand Suns (2010), Burn It Down, do mais próximo ao mundo pop (até ontem) Living Things (2012) e agora com Heavy. Aliás, um ponto importante sobre Linkin Park: após a produção de Meteora (2002), sua marca passou a ser a mudança de estilo a cada álbum. Daí as polêmicas e polarização.

O que acontece neste novo álbum é que as mudanças foram ainda mais profundas. Desde setembro do ano passado, quando começaram a pipocar rumores sobre as novas músicas, a banda fala sobre isso. Em entrevista à Billboard, Mike Shinoda, um dos vocalistas e cabeças por trás da produção, explicou: "Nós demos prioridade a escrever as letras e compor as melodias". É que na composição dos antecessores ao One More Light, as faixas instrumentais vinham primeiro e inspiravam as letras. "Para esse álbum, nós invertemos isso. A primeira coisa que fazíamos ao chegar no estúdio era pensar 'O que está na minha cabeça? Sobre o que eu quero escrever e cantar?'. Esse processo cria uma base incrível para sustentar o restante das músicas", comentou.

Capa do álbum "One More Light"

Agora, por que a nova música soa tão diferente do "estilo Linkin Park de ser"? Bom, era de se esperar que mudanças no DNA do processo criativo fossem acarretar outras diferenças. Uma delas está na própria composição, já que a banda escolheu convidar alguns compositores externos para o estúdio. Heavy, por exemplo, ganhou vida nas mãos de Shinoda, Bennington e Brad Delson (guitarrista), membros da banda, e dos compositores Justin Tranter e Julia Michaels. Isso significa que o grupo está com a mente bem aberta para ideias de qualquer natureza e, como já ficou bem claro, disposto a assumir riscos, como lidar com o amor e ódio tão acentuado entre fãs.

Após quase 20 anos de carreira, uma hora ou outra ia bater aquele pensamento de "ok, já tentamos várias ideias diferentes, o que mais podemos mudar?". Essa experimentação deu em Heavy. E, como Shinoda já adiantou, o single reflete bem o tom que One More Light vai trazer em maio. Se isso é algo bom, não cabe a eu dizer. O que afirmo é: funcionou para mim. Em tempos de Twenty One Pilots, que levou um Grammy este ano, e companhia, músicas que tragam histórias de cunho pessoal que te ajudam a enfrentar momentos difíceis na vida vêm bem a calhar.

Confira a música com lyrics disponível no Youtube:






Facebook




Comentários