Romance, intrigas e um assassinato. Esses são os três elementos que compõem o novo drama adolescente da emissora CW. Baseado nos personagens clássicos dos quadrinhos da Archie Comics, a trama pode ser considerada como uma junção das séries Gossip Girl e Twin Peaks. Mas Riverdale, além de suas inúmeras referências, apresenta originalidade suficiente para deslanchar e fazer muito sucesso.

A trama se passa na pequena cidade de Riverdale após o acontecimento trágico e misterioso que deu fim à vida de Jason Blossom, um adolescente prodígio de ensino médio. A repercussão do homicídio é imediata, e todos os personagens da série – e principalmente os adolescentes – são suspeitos de terem cometido o crime. Mas nessa instigante cidade, tudo é mascarado: a superficialidade esconde segredos que desacreditam às primeiras impressões sobre os moradores. 

Com uma leve influência dos anos 80, Riverdale é cheio de cor, estampas diversas, roupas clássicas de série adolescente, objetos de cena muito bem posicionados e uma iluminação exótica que chama a atenção. Não podemos deixar de notar o grandioso trabalho na fotografia da série, que está completamente boa. Os enquadramentos e escolhas de captação das cenas são surpreendentes, que até mesmo no trailer é perceptível a linda estética visual. Para chamar a atenção, os produtores usaram, na divulgação prévia da série, uma iluminação neon para despertar interesse e se destacar - e deu certo! Também é notável essa estética de utilização de luz neon nas cenas de Riverdale, o que dá um pouco de personalidade ao seriado. Outro aspecto muito importante é a trilha sonora: outro ponto positivo! A cada episódio a trilha é envolvente e causa interesse, concluindo o trabalho para uma ótima obra audiovisual: som e imagem em sintonia.

Se interessou pela história? Conheça um pouco sobre cada personagem:


Da esquerda para a direita (e de cima para baixo):

Archie Andrews: é um atleta popular que passa pelo dilema de dividir seu tempo e emoções com sua grande paixão: a música. Entre os treinos de futebol e sua vida acadêmica, o garoto compõe músicas para que um dia consiga se tornar um grande músico. Além disso, ele tem que lidar com um segredo envolvendo seu último verão e uma de suas professoras. O protagonista é interpretado por K. J. Apa, um ator novato que consegue dar vida a Archie, atuando na linha mas sem mostrar muito destaque. 

Betty Cooper: doce, bonita e gentil. Betty é a típica garota tímida da escola que possui uma queda por um dos garotos da escola, porém esse garoto é seu melhor amigo, Archie.  Ela é a filha perfeita, a irmã perfeita e a aluna perfeita, o que faz ela já estar cansada disso, e com a ajuda de Veronica, sua nova amiga, ela começa a quebrar essas barreiras impostas a ela. Betty é interpretada pela atriz Lili Reinhart, que dá expressões fortes com seu olhar claro e simpático.

Veronica Lodge: é a recém chegada na cidade. Vinda de Nova York, a garota é dotada de uma personalidade forte e possui uma língua afiada. Mesmo com a má fama, Veronica quer mostrar que não é uma pessoa ruim, fazendo amizade com Betty e seus amigos, incluindo Archie, com quem tem uma química intensa logo de cara. Camila Mendes é a atriz que interpreta Veronica, e se destaca entre as demais atuações, mostrando que sabe muito bem dar vida a personagem do jeito que ela merece. A atriz é filha de brasileiros e morou por um ano no Brasil, sabendo falar muito bem o português. 

Jughead: este é o narrador da série, que também está presente como personagem, fazendo uma forma de aproximação maior com a trama narrada. É o melhor amigo de Archie, mesmo que eles não estejam mais tão próximos. É um cara filosófico e um tanto sozinho, porém está disposto a ir a fundo pra descobrir o mistério que ronda a cidade. O nosso já conhecido Cole Sprouse (o Cody da série da Disney Zack e Cody: Gêmeos em Ação) interpreta Jughead, mostrando um pouco de amadurecimento com esse papel. Nada muito notável, porém é interessante ver que ele cresceu e está se dedicando a atuações mais sérias.

Cheryl Blossom: é a garota mais popular da escola. Com uma característica malvada típica de uma mean girl, Cheryl gosta muito de pegar no pé de Betty. A morte do seu irmão, Jason Blossom, que dá início a série, faz o espectador duvidar se a garota está realmente de luto pela morte do irmão ou se é apenas fingimento. Madelaine Petsch, que faz o papel de Cheryl, consegue passar muito bem o ar de malvada que a personagem merece, porém não se destaca muito com a atuação por enquanto.

Josie McCoy: linda, estilosa e ambiciosa. Josie é a vocalista da banda “Josie and the Pussycats”. É cheia de talento e se doa muito para que o seu grupo seja muito bem renomado na cidade e além. Não gosta muito da ideia de ajudar e ser ajudada por Archie no ramo da música, criando uma barreira contra ele. Ela também é filha da prefeita da cidade, Sierra McCoy. A atriz que faz Josie é Ashleigh Murray, com sua beleza e firmeza nas cenas onde precisa de conflito e representatividade. 


Mas qual a importância da série?

Apesar de ser baseada nos quadrinhos de Archie (publicados desde 1940), Riverdale é bastante diferente. A série tem uma pegada mais adulta que as HQs, e também possui um plot mais sombrio e misterioso. Entretanto, isso não tira o encanto da série: a transmídia que acontece pode ser adaptada a um público diferente, tão carente de produções que pode fazer de Riverdale uma das séries mais influentes para esse tipo de espectador nos próximos anos.

Há uma grande polarização entre as produções voltadas ao público teen: de séries que deram certo, atraindo milhões de fãs e várias temporadas; e outras que foram canceladas nas primeiras temporadas – ou que não passaram dos primeiros episódios. Riverdale traz uma gama de novidades ao universo dos seriados, seja em seus aspectos técnicos, como fotografia e direção de arte, quando mais tradicionais, como o roteiro, por exemplo. 


Personagens bem estruturados que encantam o espectador e o faz querer saber mais sobre eles, além da identificação; trama bem amarrada, deliciosa, do jeitinho que esse nicho gosta de ver; atores jovens, muitos ainda com pouca experiência de carreira, mas que com carisma, conquistam quem está assistindo; estética diferente, que chama a atenção e a distingue das outras. E a partir desse ponto, é relevante destacar a importância da originalidade na série.

Fugir de personagens rasos e estereotipados, de roteiro clichê e sem fundamento, da trama boba e fraca é essencial para uma série que está começando em 2017, onde já foram produzidos inúmeros seriados sobre temas parecidos e com abordagens óbvias. Portanto, cabe a Riverdale continuar surpreendendo, continuando com a originalidade e entregando ao nicho de adolescentes o melhor que puder. 

A série chegou aos Estados Unidos no dia 26 de janeiro pelo canal CW. No Brasil, a transmissão fica por conta da Warner Channel, que começou a passar Riverdale desde o dia 13 de fevereiro. Você pode acompanha-la todas as segundas-feiras, às 21:40 no canal.





Facebook




Comentários