O dia de ontem, 23 de dezembro, foi um marco para os fãs da série Sense8. Depois de quase 1 ano e meio do lançamento da primeira temporada, a Netflix disponibilizou um especial de natal contendo 2 horas de duração que, além de fazer um resgate da trama que conhecemos em 2015, também deixa um gancho para a nova temporada, que estreará em maio de 2017. Antes de tudo, vale lembrar que essa matéria CONTÉM SPOILERS.

A história começa basicamente de onde tudo parou na season finale da primeira temporada. As coisas não mudaram muito. Sun (Doona Bae) ainda está presa e continua sendo sabotada pelas ações do seu irmão; Kala (Tina Desai) desfruta da sua lua de mel com Rajan (Purab Kohli) e dos seus sentimentos de dúvida; Wolfgang (Max Riemelt) lida com chefes da máfia de sua cidade; Lito (Miguel Ángel Silvestre) e Hernando (Alfonso Herrera) sofrem as consequências de suas sexualidades serem expostas para o mundo; Will (Brian J. Smith) e Riley (Tuppence Middleton) estão na Islândia escondidos do caçador Mr. Whispers (Terrence Mann), que agora tem acesso ao mundo de Will; Capheus (Toby Onwumere) tenta consertar o seu “Van Damn”; Nomi (Jamie Clayton) e Amanita (Freema Agyeman) estão sendo perseguidas por agentes do governo, e por isso, também precisam se esconder.

A vida dos “Sensate” está em perigo. E, na maioria das vezes, são nessas horas que eles se “juntam” e compartilham suas habilidades, salvando a pele um do outro. Mas muito além de toda a luta por sobrevivência, tanto a trama (muito bem arquitetada por Lana Wachowski e J. Michael Straczynski) quanto as personagens nos deixam mensagens conforme a história se desenrola. São vários os motivos que nos levam a acreditar que o novo episódio de Sense8 é muito mais que um especial de natal. Mas por quê?

1
Porque mostra o senso de coletivismo e de que "sempre cabe mais um".


Se Sense8 é uma série em que suas personagens compartilham momentos e sensações, enveredar para um lado mais individualista seria bobagem. O senso de coletivismo da série é muito amplo, e de uma forma clichê, mostra que “sempre cabe mais um” em qualquer situação. Um exemplo disso é quando Dani, sentada à mesa na ceia de natal, mostra-se vulnerável ao falar sobre os péssimos feriados que teve com a família, e a mãe de Lito, solidária, diz que a mulher sempre será bem-vinda em sua casa.

Também Nomi e Amanitta, ao saírem para um jantar de natal, convidam para se juntar a elas um amigo que, aparentemente, passaria sozinho o feriado. Além disso, Sun recebe alguns “presentes” de suas amigas na prisão, visto que passa o episódio todo na solitária. Solidariedade e empatia são palavras chaves para descrever esses momentos, que fundamentais na série, chegam a ser comoventes. 

2
Porque mostra que toda forma de amor é justa.


Hernando, em uma cena de bastante tensão logo no início do Especial, diz que “arte é o amor tornado público”. Desde o primeiro episódio da série são exibidos vários casais homoafetivos, que reforçam a preocupação de mostrar no roteiro que toda forma de amor é aceitável, e que toda pessoa deve ser quem ela realmente é. Agora, a situação se expande e põe em cena o choque causado pela imagem vazada do ato sexual entre Lito e Hernando e todo o preconceito e tabu que vêm em consequência dessa exposição.

Felizmente, a ajuda e proteção dos outros sensates tornou-se um diferencial neste episódio, como aconteceu no discurso de Kala e na “ajudinha criminal” de Wolf. Os valores das personagens são colocados em cheque, mas dessa vez o jogo vira a favor do amor (como quando a mãe de Lito o apoia em uma cena bastante emocionante) e mostra toda a vulnerabilidade que cerca esse assunto. E para lutar pelo amor, é necessária muita coragem - um sentimento bastante comum em Sense8, que dá forças a Hernando e Lito em ocasiões onde o medo e preconceito predominam.

3
Toda forma, mesmo.


E pegando o gancho do tópico acima, é importante reforçar que é justa toda forma de amor, mesmo que ela seja uma enorme suruba acontecendo na mente dos sensates. Momento de descontração à parte, é necessário mencionar a preocupação dos escritores em quebrar os tabus na série, principalmente os que são ligados ao sexo. Já na primeira temporada tivemos uma cena de orgia entre as oito personagens que ganhou uma grande repercussão. Então, por que não repeti-la? Essa forma de amor - e claro, também de prazer - acontece nos vários lugares em que os sensates estão. É homem beijando mulher, homem beijando homem e mulher beijando mulher. Com uma ótima fotografia e trilha sonora, Sense8 mostra mesmo que toda, mas toda forma de amor é válida.

4
Porque empodera as mulheres.


Sense8 também aborda a importância do feminismo e busca sempre empoderar suas mulheres, que com diálogos e cenas inteligentes, nos mostra o quão fortes elas são - e o quanto de igualdade merece esse gênero. E isso entra em pauta desde o primeiro episódio da série. Entretanto, nesse episódio o assunto é abordado de uma forma mais sutil que os outros tópicos.

Quando Kala está na sua lua de mel, já nos primeiros minutos do especial, argumenta sobre o fato de sua virgindade ser um assunto pessoal, privado e que cabe somente a ela, mostrando a vulnerabilidade do assunto (quando é mostrada a pichação taxando-a de “virgem”) e da necessidade em ele ser abordado. Ela ainda comenta sobre o fato de ser dona do seu próprio corpo, e que logo, não deveria ser um assunto a ser comentado entre seu marido e sua mãe, muito menos objetificado. 

5
Porque ensina o valor da amizade.


Ainda na primeira temporada, com a descoberta das ligações ‘sensate’, a cumplicidade do cluster cresceu aos poucos e, consequentemente, atingiu um estado muito mais sólido. Agora, tendo em vista a intimidade criada entre eles, diversas cenas do especial reforçam, de forma implícita - e interessante-, a ideia de que sem amigos não podemos alcançar nosso maior potencial. O primeiro exemplo é Sun, que sofre dentro da prisão na Coréia as consequências de um crime que não cometeu, e é colocada numa enrascada que põe sua vida em risco. De forma análoga, Wolfgang está no centro do fogo cruzado entre as máfias alemãs.

O modo como ambas as situações são conduzidas têm como pilar central a presença dos companheiros que, cada um com sua habilidade única, guiam os momentos de tensão a um desfecho satisfatório. Além disso, somos agraciados com a cena de aniversário dos sensates, possivelmente o momento mais feliz e cheio de sorrisos já visto em toda a série, com direito a comemorações em todos os cantos do mundo - cada uma com sua beleza singular. 

6
Porque mostra que é muito bom ser otimista.


Sense8 deixou claro que é possível encontrar algum sentimento feliz no meio de uma onda de acontecimentos ruins, abordando de forma positiva a questão do otimismo. Ainda que seja perseguida por agentes policiais e esteja cercada por todos os lados, Nomi é preenchida com uma felicidade quase inexplicável pelas pequenas coisas que vive ao lado de Amanitta. Will e Riley, fugindo e se escondendo em tempo integral de Whispers, ainda têm pequenos momentos felizes que lhes dão ânimo para continuar a jornada e a esperança de que um dia poderão virar o jogo.

Sun, por sua vez, firma seu otimismo no dia em que finalmente deixará a prisão e terá um encontro com seu irmão - o responsável pela vida que leva atualmente. De modo geral, ser otimista é o que dá força ao cluster para acreditar que um dia tudo será diferente, e só assim terão total controle de suas vidas.


CONCLUSÃO

É possível perceber que o “Especial de Natal” não contribuiu diretamente na narrativa nem alterou a forma como a série foi deixada no finale da primeira temporada. Basicamente, ele mostrou como está a vida das personagens, deixando em aberto as mesmas perguntas que já vinham sendo questionadas desde o episódio anterior, ainda em 2015. Pelo menos deu para matar a saudade, certo?  Agora só nos resta esperar pelos próximos episódios que serão lançados no ano que vem. 

Contudo, mesmo sem novas estradas para a trama percorrer, é notável que Sense8 apelou para uma verdadeira contribuição social, feita através de um festival de ensinamentos e sermões que apontam as falhas de nossa sociedade, trazendo à tona o ódio e a intolerância que estão enraizados nos valores “tradicionais”. Em contraponto, exalta aquilo que o mundo precisa pra se tornar um lugar melhor: amor, companheirismo, aceitação, lealdade e igualdade. Esperamos que todos os telespectadores tenham entendido as mensagens e refletido um pouco sobre elas, para que possamos dar um passo à frente enquanto humanos. De fato, o espírito natalino falou mais alto num episódio impactante, cheio de grandes emoções e ensinamentos para a vida toda.

Imagens: Sense8 Gifs






Facebook




Comentários