Como sabemos, a série de maior sucesso do canal, Game of Thrones, acabará em sua oitava temporada, então restam apenas mais duas para nos despedirmos dos sete reinos. Obviamente, a HBO não podia perder sua enorme audiência acumulada até agora e então apostou tudo em Westworld, com um roteiro surpreendente e um elenco de peso. 

Ouvimos muitas pessoas falando que Westworld seria apenas um tapa buraco de GoT, mas após 10 excelentes episódios de sua primeira temporada, podemos afirmar que a série é algo muito maior do que isso. A premissa básica, sem spoilers, gira em torno de uma empresa que cria um mundo com temática velho oeste onde as pessoas pagam um preço alto para visita-lo. Lá, conseguem interagir com os anfitriões, (robôs com inteligência artificial que falam e reagem à ações como se fossem humanos) isso inclui transar, matar e qualquer outra coisa que queiram fazer com eles. Cada robô possui sua própria narrativa, podendo improvisar um pouco, e a cada final de dia eles são reiniciados e recomeçam suas rotinas.

Confira abaixo alguns bons motivos para assistir a nova aposta da HBO:

1
Tem bons personagens

Desde os vilões as donzelas em perigo, Westworld está recheado de ótimos personagens. Além desses mais "clichês", vários outros se destacam bastante pela sua personalidade original e forte. Até agora admito que não me apeguei a nenhum, mas talvez esta seja mesmo a intenção do roteirista. Os que apareceram até agora na série mostraram que vieram pra ficar, e outros, que já não estão mais entre nós, deixaram com certeza uma marca para trás, influenciando assim o rumo da história. Outro fator muito legal, é que eles não costumam ser previsíveis, cada episódio é uma coisa diferente que aprendemos sobre cada personagem.

2
Os diálogos são memoráveis

No quesito "boas falas", Ford (Anthony Hopkins) é o que mais se destaca. Além dele, Maeve (Thandie Newton) e Dolores (Evan Rachel) também possuem diálogos incríveis. Destacamos abaixo alguns melhores até agora:

"Quando você está sofrendo é quando você está mais curado."
"Se o mundo real é tão bom, por que vocês insistem em vir para cá?"
"Nunca confie em nós. Somos apenas humanos. Inevitavelmente iremos desapontá-lo."
"Nunca comece algo que você não está disposto a terminar."
"Desejos violentos têm finais violentos."

3
Tem plot twists bem convincentes

Episódio atrás de episódio, somos surpreendidos por viradas surpreendentes no roteiro. E não digo que são poucas nem fracas, são verdadeiras VIRADAS (em caps lock mesmo). Se você se acha esperto por adivinhar finais de filmes, ou fica desapontado com muitos plot twists, certamente irá amar os de Westworld. Além de serem distantes de tudo o que imaginávamos ou tentávamos adivinhar, eles se encaixam perfeitamente na história. Não são forçados nem vagos, realmente explicam o que está acontecendo e porque está acontecendo. Alguns, inclusive, você nem estava prestando atenção e quando percebe BOOM, mudam o rumo de toda a história que você estava acostumado.

4
O elenco está impecável

Temos renomeados nomes no elenco da série. Anthony Hopkins (conhecido por Hannibal), Rodrigo Santoro (único brasileiro no elenco de atores), Ed Harris, James Marsden, Jeffrey Wright (o Beetee, de Jogos Vorazes), Ben Barnes (o Príncipe Caspian, de As Crônicas de Nárnia), entre outros. Com um elenco desse peso, é de se esperar que as atuações sejam excelentes também, e não nos desapontamos. Enquanto os atores que interpretam anfitriões (robôs) trabalham perfeitamente sua postura robótica e neutra, o que convence bastante, os convidados (humanos) mantém suas relações e discussões em um alto nível de atuação.

5
Possui roteiro original e extremamente criativo

Sabemos que inteligência artificial é um assunto já muito usado em Hollywood, porém, isto é tratado de uma forma bem diferente na série. Desde a criação do lugar, quanto a criação de cada robô, a tecnologia está sempre muito presente e é impressionante como cada veia, pupila e corpo é criado. Outro fator muito interessante é que na cidade os humanos não podem morrer graças a uma tênue linha imaginária gerada por computadores que identificam se é humano ou máquina. Ou seja, a única coisa que impede humanos de serem mortos por robôs, é um robô... Irônico? Talvez. Além disso, percebemos ao longo dos episódios que o lugar possui um enorme potencial para novas narrativas, novos personagens e novos lugares, expandindo assim o mundo de Westworld de uma forma surreal.


Em resumo, Westworld é muito mais do que os trailers mostram, e MUITO mais do que "o novo Game of Thrones". Como toda série, também possui altos e baixos. Algumas cenas são meio desnecessárias e parece ser encheção de linguiça, como diálogos longos e repetitivos demais, porém, nada disso tira o brilho e a originalidade que a série tem.





Facebook




Comentários