Uma garota, um furgão, um bebê. Essa é a história de Tallulah, uma garota jovem e independente, com diferentes ideologias e visões sobre a vida, e que cai na estrada para fugir da turbulenta Nova York. Um drama original do Netflix protagonizado por Ellen Page: imperdível, belo e tocante.

Já no início do filme vemos uma Tallulah – interpretada por Ellen Page, pobre e com um estilo de vida diferente, que está há dois anos em uma viagem sem rumo com o namorado, Nico. Sem trabalhar, a garota vive de apostas e roubos enquanto mora em um furgão – o próprio instrumento de viagem – com o namorado. Mas sua vida começa a virar de cabeça para baixo quando já no começo da trama Nico resolve abandoná-la, alegando que está com saudades de sua mãe.

Sem dinheiro, sem namorado e desnorteada, Lu (como prefere ser chamada), não demonstra ter um plano concreto em sua vida a não ser sair por aí em busca de comida e do amado. Invadindo um hotel de luxo, ela acaba conhecendo Carolyn, uma mulher rica que vive às custas do marido. No exato momento em que as duas se encontram, Carolyn pede para Lu (uma completa estranha até então) cuidar de sua filha enquanto ela sai para um encontro. Entretanto, a protagonista percebe o quão negligente e desinteressada a mulher é pela filha, e por impulso, Tallulah acaba levando a bebê embora consigo.


Ao mesmo tempo em que a jovem procura pelo namorado, ela também tenta cuidar da criança. Sua primeira alternativa é ir até a casa da mãe do amado, Margo (Allison Janney) que a rejeita. Entretanto, Lu resolve fingir que é a mãe do bebê e que Nico é o pai da criança, o que faz Margo acolhe-la e se tornar uma cúmplice daquele sequestro que ela até então desconhecia.

O roteiro do filme, escrito por Sian Heder (uma das principais roteiristas das três primeiras temporadas de Orange Is The New Black), apresenta uma história original mas com personagens que beiram ao clichê. Estereotipadas, as três principais – Lu, Margo e Carolyn são o retrato de mulheres com personalidades opostas, mas que de forma previsível, transformam-se ao longo do filme. Tallulah, por mais que seja o destaque do longa, age de forma insuportável em alguns momentos, assim como Carolyn, que acaba sendo a personagem mais rasa da trama. 

Entretanto, Ellen Page atua de maneira impecável e bela em todos os momentos do filme. Mesmo quando o foco não é ela, a atriz consegue roubar a cena. Allison Janney também não fica muito atrás - a complexidade da sua personagem e seus problemas internos são retratados muito bem pela atriz.



Tallulah é, sobretudo, uma garota desnorteada e impulsiva, que não planeja um futuro e que se agarra aos conceitos e ideologias que tem sobre o sentido da vida. Uma visão bastante peculiar e intrigante, que faz Margo refletir e até mesmo se autoquestionar sobre o andamento da própria vida e a razão de sua existência. Apesar da protagonista ser Tallulah, o espectador é Margo: é bastante crível e simplória a forma com que a personagem pode ser relacionada com qualquer pessoa do mundo, e como suas decepções e erros a tornam como ela realmente é, e como – apesar de ser uma mulher madura e independente – ainda pode amadurecer e aprender com uma jovem tão diferente dela. Tallulah é um filme reflexivo sobre maternidade e maturidade, que engrandece a coleção de títulos originais do Netflix.





Facebook




Comentários