Se você é apaixonado por séries produzidas por Shonda Rhimes e está ansioso para as novas temporadas de Grey’s Anatomy, Scandal e How to Get Away With Murder, você não pode perder The Catch, a nova série produzida pela norte-americana conceituadíssima no universo das séries. Mas se você não acompanha nenhum dos seriados citados acima, não se preocupe: The Catch conta com atributos que irão prender você do começo ao final da temporada.

Escrita por Kate Atkinson e Helen Gregory, o drama conta a história de Alice Vaughan, uma renomada investigadora de fraudes que juntamente com sua amiga, Valerie Anderson, comanda uma firma de investigações. Entretanto, a personagem principal tem sua vida desmoronada ao descobrir que seu noivo, Christopher Hall, é na verdade um golpista que tem a enganado há meses para roubar dinheiro de seus clientes e informações valiosas de sua empresa. Para descobrir os motivos que levaram Christopher a cometer tais atos e com sede de vingança, Alice inicia uma espécie de caçada para capturar o ex-noivo foragido e coloca-lo atrás das grades, porém, quanto mais ela vai conhecendo o verdadeiro Christopher e o mundo dos golpistas, mais sua ética é posta em jogo.


Mas se você acha que a série permanecerá nesse jogo de gato e rato por muito tempo, talvez você esteja enganado. Sem querer entrar no âmbito dos spoilers, a série não desvirtua de sua premissa, mas também não fica no clichê da mocinha que quer prender o vilão em busca de vingança. Na verdade, há um grande paradoxo entre Christopher (será que podemos chama-lo assim?) ser o grande vilão da série, pois conforme os episódios vão se desenrolando, tanto Alice quanto o espectador vão descobrindo sobre o presente e passado dessa personagem peculiar que ora se mostra como vilão, ora como mocinho.

E essa acaba sendo a grande jogada da série: brincar com a ética e moral da investigadora e com as intenções do golpista. Além disso, ao desenrolar da estória, vários personagens são inseridos na série, e os plot twists dos episódios vão ficando cada vez mais interessantes a ponto de tirarem o ar do espectador. É aquele famoso sentimento em que você acha que sabe o que irá acontecer, mas que assim como Alice, acaba sendo enganado pelos roteiristas com as reviravoltas da série. Um recurso muito bem utilizado no seriado, mas que acaba se tornando óbvio quando usado em excesso, fazendo com que o espectador já imagina que acontecerá algo totalmente fora do esperado e a mocinha quebrará a cara mais uma vez na estória.


Assim como as outras séries produzidas por Shonda, The Catch, como já mencionado, possui uma mulher como personagem principal, dessa vez interpretada por Mireille Ennos, de The Killing. Como de costume (e ficamos muito contentes com isso!), a personagem é retratada como uma mulher forte e competente. Já o papel do golpista fica com Peter Krause, de Six Feet Under. Sonya Walger, de Lost, dá vida à vilã – também golpista e parceira de Christopher – Margot Bishop. Rose Rollins, Jay Hayden, Elvy Yost, Alimi Ballard, Jacky Ido e John Simm.

The Catch é produzida por Julie Anne Robinson e pela estimada Shonda Rhimes, o que ganha o carimbo Shondaland do canal ABC: uma série viciante, intensa, cheia de reviravoltas, personagens bem estruturados e episódios com finais que fazem você pedir por “só mais um”, mas acaba fazendo uma maratona ou então espera ansiosamente pela continuação. A série estreou em março e possui apenas dez episódios em sua primeira temporada já finalizada, mas felizmente já foi renovada para uma segunda temporada.





Facebook




Comentários