Com certeza você nunca viu uma série tão estranha e original como essa. Além de ter episódios a parte, onde nenhum se conecta com o outro, - também não tendo ordem cronológica correta para assisti-los - cada história te deixará desconfortável e/ou angustiado, fato que torna "Black Mirror" uma série incrível, porém meio perturbadora (não que isso seja algo ruim, pois não é).

Uma espécie de híbrido entre "The Twilight Zone" e "Tales of the Unexpected", a série explora sensações do mal-estar contemporâneo. Cada episódio conta uma história diferente, traçando uma antologia que mostra o lado negro da vida atrelado à tecnologia, com ironias envolvendo tanto redes sociais, quanto aparelhos tecnológicos futurísticos. E por mais sem graça que essa sinopse pareça, acredite, você vai se surpreender.


Os episódios brilhantes são escritos pelo produtor executivo Charlie Brooker, e todos possuem tanto um tom de ironia, quanto provocativo. O episódio 1 da primeira temporada já começa polêmico, mas nem assim conseguimos ter ideia do que vem a seguir nos próximos episódios. Essa 1ª história gira em torno do Primeiro Ministro britânico que é alertado sobre o sequestro da princesa real, e através de um vídeo no Youtube, com ela pedindo ajuda, ele descobre que para resgatá-la com vida precisará ter relações sexuais com um porco (sim, você leu certo, um porco!) ao vivo e em rede nacional.

A crítica inteira desse episódio era apenas provar que mesmo sendo algo repulsivo e humilhante, o mundo inteiro não conseguia parar de falar sobre o assunto. Quando o ato é finalmente transmitido ao vivo, apesar dos olhares de nojo das pessoas que estão assistindo, ninguém conseguia desligar a TV. 

A partir deste episódio, outros mais "doentios" aparecem, incluindo um em que a mulher consegue conversar com um "robô" que imita seu namorado morto, e outro em que as pessoas podem gravar tudo o que estão vendo (como se fosse realmente uma câmera nos olhos) para assistirem mais tarde.


Além de ter um roteiro incrivelmente criativo e inteligente, "Black Mirror" tem uma ótima fotografia, o que faz alguns episódios parecerem até coisa de filme. Enquanto uns são acelerados, com finais surpreendentes, outros são mais massantes e previsíveis, porém nada disso estraga a experiência transmitida, já que em todos você continuará se questionando sobre a sanidade dos personagens, sendo que eles somos nós, pessoas comuns, e isso é sinceramente apavorante.

Como eu disse no início, você provavelmente terminará cada temporada sentindo um grande desconforto e confusão mental. Algumas histórias são realmente desagradáveis, parece que você não deveria estar assistindo a aquilo.


"Black Mirror" possui apenas duas temporadas na Netflix, com 3 episódios cada, mais um especial de Natal (que conecta todos os episódios anteriores de forma sutil), porém já foi confirmado que estão produzindo a terceira temporada com incríveis 12 episódios! É definitivamente a série mais verdadeira e genial que já vi até hoje. Vale muito a pena conferir para sentir esse gostinho de "tapa na cara" da realidade.





Facebook




Comentários