Mad Max mistura de elementos de RPG e corrida em um só game. Se passa em ambiente australiano (como pode-se perceber ainda pelo sotaque dos personagens) e o possui um roteiro original, não sendo baseado diretamente nos filmes - apesar de se passar em Wasteland. Fora o protagonista homônimo, um ótimo ponto que faz a conexão com o universo cinematográfico é o fato de o “vilão” da história ser filho do temível Immortan Joe. De quebra, nessa aventura você conta com Chumbucket, um mecânico super amigável que te dá cobertura sempre que necessário. O melhor é que você é livre para, caso queira, deixar de seguir o rumo principal da história e explorar o imenso deserto.

Por sinal, essa é uma palavra chave de tudo: deserto. Em um deserto real, tudo é escasso (menos areia), e em Wasteland isso não é diferente. Tanto água quanto munição não são tão fáceis de se encontrar. Portanto, use-as com cautela. O resultado de três anos e meio de produção pode ser visto pela belíssima qualidade de gráficos e jogabilidade dentro e fora do carro. São 18 partes diferentes disponíveis para customização, com mudanças puramente estéticas e algumas que podem salvar sua vida.



O jogo possui um modo de combate similar ao tradicional trazido na série Batman Arkham, seguindo um padrão idêntico a vários outros games: um ícone brilha sobre a cabeça de um inimigo - indicando que ele vai atacar; você opta por contra-atacar ou esquivar, e assim sucessivamente. Talvez o combate seja simples demais, pois só um botão dá conta do combo inteiro, contudo, as animações e os movimentos ainda compensam pela facilidade de controle.

Por ser um jogo de aventura em sandbox, há liberdade para explorar o mundo, encontrando espécies de “vilarejos” nos quais pode-se derrotar inimigos e conseguir mais peças para realizar upgrades em seu carro. Por sinal, um ponto forte é que não há tela de loading em nenhum momento, deixando o gameplay extremamente fluído. Os controles são bons, deixando o game tranquilo até você sair de trás do volante. Desde o início, fica claro: você não é nada sem seu Magnum Opus.


Disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC, Mad Max tem tudo para ser o melhor game de ação do ano.

Dicas


Seu veículo é um reflexo de você, além de ser um símbolo de status e um meio de transporte/sua arma mais poderosa. A Avalanche Studios explorou isso muito bem. Há vastas oportunidades de customização, mas você deve ter em mente que elas são muito fiéis à realidade, portanto saiba equilibrar bem seus atributos. Lembre-se que um carro “bonitinho” não é nada se não puder enfrentar os mais doidos warboys, que geralmente te atacam em bando.

Saiba equilibrar, de acordo com seus recursos, a estabilidade do carro com sua resistência e peso. Um carro pode ser mais resistente e cheio de defesas, mas facilmente fica pesado e gasta mais guzzoline, tornando-o mais difícil de controlar.

E não se esqueça de que o jogo também é um survival, portanto, saiba lidar bem com seus recursos: recarregue seu cantil sempre que tiver a oportunidade (e a área estiver limpa) e além de tudo, não tenha medo de sair à procura de scraps e comida.

Saiba usar bem o Chumbucket, pois ele pode consertar seu veículo após você sofrer muito dano, além de transportá-lo até você caso você tenha se aventurado à pé. Saiba também utilizar o Magnum Opus, pois ele é sua principal arma. Caso morra, você retorna à garagem e pode customizar outro veículo como bem entender. Ao completar quests mais simples, você ganha algumas scraps, e ao completar os objetivos principais e atender ao líder de determinado distrito, você é recompensado com diversos equipamentos para o carro.

Use as informações acima a seu favor, e bom jogo!





Facebook




Comentários