Pretty Little Liars é uma série estadunidense criada por Marlene King e que teve sua estreia em junho de 2010. Atualmente a série está na sexta temporada e ontem, 11 de agosto, foi ao ar o décimo episódio do programa de tv, sendo o summer finale (final da primeira metade da temporada e saída para o hiatos). No entanto, não foi um episódio comum, mas sim o episódio chave da série onde finalmente muitas respostas que atormentaram os fãs foram respondidas.

A série, conhecida carinhosamente como PLL, conta a vida de cinco garotas após uma delas desaparecer misteriosamente. Quando o corpo de Alison Dilaurentis, a abelha rainha do grupo, é encontrado enterrado no quintal de uma casa de Rosewood, as quatro amigas começam a receber mensagens de texto assinadas por –A. Só que não são declarações e consolações: a pessoa que as manda sabe de todos os seus segredos e ameaça conta-los. Como se não bastasse, ao decorrer da série a situação fica mais feia e –A começa a persegui-las, tortura-las e sabota-las. 

Em seis temporadas, a roteirista carregou uma identidade anônima até onde pode, surpreendeu os telespectadores com plot twists, cliffhenger e demais elementos que fazem os fãs não desgrudarem da tela. No final da segunda temporada, a identidade de –A foi revelada, no entanto, outra pessoa roubou seu jogo e continuou a atormentá-las na terceira temporada. Muitas pistas falsas, muitos suspeitos, muitos detalhes e muitas histórias foram bordadas em torno da série. Chegava a ser desnecessária, repetitiva e desconexa a quantidade de informações e enrolações durante esses seis anos, mas finalmente a maioria das perguntas foram respondidas e a identidade de –A foi revelada. E dessa vez não foi brincadeira.



Se você está lendo essa parte da crítica, ou você é um grande fã da série – e provavelmente já assistiu o episódio – ou um grande curioso e caçador de spoilers. Vamos então recapitular o essencial: Alison está viva. Mona foi –A. Toby esteve no –A Team. Ezra não era –A. Uma grande de quantidade de personagens foram mortos e não sabemos por que e por quem. Prometeram-nos respostas. E nos deram.

Já no começo do episódio vemos uma cena em que Charles, nosso querido –A, pretende se jogar de um prédio. As liars, que sofreram na mão dele durante anos gritam mensagens confortantes para que ele não faça nada imprudente. Mesmo sendo uma cena do futuro, já sabemos que ele não irá se jogar por motivos de: -A sempre fica bem no final. E foi isso o que aconteceu. Nos próximos episódios da trama somos confrontados com a identidade de –A e a surpresa – ou confirmação de teoria para algumas pessoas – é jogada na nossa cara. Cece Drake é –A. Mas como? Nos primeiros minutos achei que ela fosse a Red Coat fazendo um cosplay de Charles para dar uma trolada básica na Alison e nas garotas – que viam em uma conferência de vídeo junto com Mona (anos querendo descobrir a identidade de –A para receber a verdade através de um vídeo). No entanto, Cece começou a contar tudo e percebemos que sim, ela é –A. E ela foi Charles.

Cece Drake nasceu Charles Dilaurentis e se tornou Charlotte Dilaurentis. Com transtornos psicológicos, ela foi levada ao Radley pela família e ficou lá tempo suficiente para mudança de sexo “forjar a morte” de Charles com a mãe. Charlotte foi estudar fora e se tornou Cece Drake. Voltou a Rosewood, roubou o jogo de Mona e conheceu as garotas que torturaria por muito tempo. Tudo pareceu começar a se encaixar: Charles era um garoto que sempre quis ser uma garota, e com transtornos psicológicos foi levado ao Radley. Lá fez amizade com Bethany, trocou de sexo, se aproximou da família através do namorado (que na verdade era seu irmão) Jason e saiu de férias com Alison, que se tornou sua grande amiga. Tempo depois ela voltou para Rosewood e se escondeu atrás da máscara de –A. 



Antes de começar as revelações, quando as liars entraram para o covil de –A, Sara Harvey preferiu não acompanha-las. Poxa, Marlene! Nessa hora você pisou na bola, viu? Entregou a menina antes mesmo do plot twist. A coitadinha da Sara não somente é a Red Coat, mas também a Black Widow. A personagem desenvolveu três grandes personalidades que foram grandes mistérios para série. Mas a atriz já não consegue interpretar bem uma, imagina três? Não foi convincente a atuação dela como vilãzinha. 

Além das revelações de identidades, outros segredos foram expostos: foi Bethany quem empurrou Marion (mãe do Toby) do terraço, matando-a. Cece acertou a pedra na cabeça de Alison por engano achando que ela fosse Bethany  e ficou muito sentida por ter feito aquilo (depois ela começou a torturar a irmã, mas pelo visto não ficou nenhum pouco sentida por isso). Mona matou Bethany, e como já sabíamos Melissa a enterrou. Uma cidade bem pequena para tantas pessoas estarem no mesmo lugar, não é mesmo? Wilden acobertou Cece, Bethany e Jessica – então o policial sabia mais do que imaginávamos. 

O desfecho da season finale desestabilizou muitas teorias e desfalcou muitas crenças. Mas de uma coisa pode-se ter certeza: Cece foi planejada como –A há pouco tempo. É estranho pensar que ocorreu incesto na série, e os motivos dela em fazer a vida das garotas um inferno são sem fundamentos. A roteirista deve ter a escolhido para quebrar a maioria das teorias que se referiam a outro personagem, não levando em conta o histórico de Cece como Cece. Criar outra identidade para ela – sendo Charles – foi um pouco forçado visto que teriam outros personagens que se encaixariam melhor como vilões. Porém, a própria trama em ter um irmão em segredo que quase ninguém conhecia já foi um tanto forçado. Por que Cece odiava tanto as garotas? Não pode ser porque elas “odiavam” a abelha rainha Alison. E aquele final? Não, Charles/Charlotte/Cece não se matou. Pelo jeito, escapou. Oh, santa paciência! Pelo menos Emily deu um soco na Sara – e foi a melhor parte do episódio! (Só faltou o “you bitch!”)

Logo após o episódio, foi transmitido uma promo da continuação da temporada. Cinco anos se passarão e todas as garotas estarão formadas e iniciando suas carreiras. No entanto, as liars voltam para Rosewood e vão diretamente à Ali, dizendo que “ele estava de volta”. Seria –A? Será que seremos engajados com o mesmo vilão e mesma trama depois de fucking seis anos? Basta esperar até 2016 para conferir (com muita ansiedade e paciência!).





Facebook




Comentários