Em Lifeline você precisa ajudar um astronauta, Taylor, preso em uma Lua após a queda de sua nave e o sumiço da tripulação. O mais legal sobre esse jogo é que o personagem se comunica com você por meio de mensagens enviadas de tempo em tempo, ou seja, tudo parece muito real e te deixa super nervoso. A jogabilidade é simplesmente ler a história e escolher uma opção quando ele te pergunta, por exemplo, "Devo continuar a procurar comida ou descansar porque já está escurecendo?" e suas únicas opções são "Continue a Procurar Comida" ou "Vá Descansar". E após escolher a opção, dependendo do que for, Taylor vai fazer a ação e para de te responder por alguns minutos ou até horas; apenas depois você recebe notificação dele falando novamente.


Por mais chato e parado que isso pareça, a temática do jogo é meio sombria e você nunca sabe o que pode acontecer. Às vezes fico tão nervosa esperando notificação do Taylor que não consigo largar o iPod. Sim, eu admito. Me apeguei ao personagem. Ajudar Taylor sem ver o que ele está fazendo é realmente agoniante, mas uma ótima experiência.

O jogo é extremamente simples, mas as suas decisões são extremamente difíceis. Uma vez escolhi que ele deveria dormir do lado de fora da nave e acabei perdendo o sinal com Taylor porque ficou muito frio. Sim, ele morreu. E sim, eu me traumatizei. Quando o personagem morre ou algo de ruim acontece com ele, sua conexão é cortada e o jogo apenas acaba, te dando a opção de recomeçar do zero, o que é muito chato já que você vai ter que esperar todo o diálogo novamente.

Em Lifeline não adianta ficar querendo pular diálogo, pois o jogo inteiro é apenas conversa e decisões, então caso você seja aquele tipo de pessoa que odeia jogos assim e prefere mais ação, desista. A graça dele é exatamente isso. Acompanhar todos os passos de Taylor e ajudá-lo a voltar para casa.

O jogo também tem uma pitada de bom humor, como na vez em que tive que decidir se ele andava pra direita ou pra esquerda e Taylor me fez acreditar que era a decisão mais importante da minha vida, quando na verdade não alterava nada no rumo da história. Acredite, nunca foi tão difícil escolher direita ou esquerda. Além disso, ele utiliza ótimas referências a filmes e personagens populares, como, por exemplo, ao filme "O Iluminado" e a várias clássicos da Disney.

Admito que após um tempo o jogo começa a ser cansativo, pois nada de mais acontece, apenas Taylor andando de um lado pro outro da Lua. Mas todo jogo tem seus altos e baixos, então não é nada que atrapalhe sua experiência. Eventualmente algo surpreendente vai acontecer ou ele vai te pedir para decidir algo muito difícil.

O jogo é incrível e super imersivo. Disponível para iPhone, iPod e iPad, está custando apenas USD1,99 na App Store (https://itunes.apple.com/br/app/lifeline.../id982354972?mt=8). Também disponível para Apple Watch, o que gera uma experiência muito mais incrível, já que você recebe as notificações em tempo real pelo seu relógio. No Google Play o jogo está um pouco mais caro, R$6,63 (https://play.google.com/store/apps/details?id=com.threeminutegames.lifeline.google&hl=pt_BR).

Ainda não zerei e por isso não sei quão longa é sua duração, mas levando em conta que Taylor às vezes fica horas sem te responder, Lifeline leva muito tempo. Se alguém ai tem o jogo, o que está achando? Também ficou apegado ao personagem?





Facebook




Comentários