Sim, sim, sim! Eles estão com um novo álbum! O grupo Mumford & Sons lançou no dia 4 de maio desse ano, pela gravadora Glassnote Records, o “Wilder Mind”, terceiro álbum do grupo. O disco recebeu grande notoriedade por marcar a mudança de estilo da banda: do folk para o rock alternativo, assim como a troca do banjo por guitarras e baterias.

Se você não é fã da banda, talvez essa notícia não o tenha chocado. Porém, para os que curtem o grupo britânico, essa mudança foi um choque. Ou talvez nem tanto: depois de saírem em turnê com o álbum “Babel”, a banda anunciou para a Rolling Stones que não entraria mais em atividade por um bom tempo. Depois de dois anos eles voltaram, mas sem o famoso banjo que marcou os álbum anteriores e o folk que marcava o estilo da banda.

As doze faixas que compõem o novo CD foram gravadas em Londres e produzidas por James Fod. O primeiro single a ser lançado foi “Believe”, sendo acompanhado por “The Wolf” e “Snake Eyes”. Apesar de ser inglesa, a banda mostra a paixão que tem pela cidade de Nova York ao abordar músicas que cita regiões e lugares da metrópole, como em “Ditmas” e “Tompkins Square Park”.

A presença de baterias e guitarras são bastante marcantes, contudo, as faixas são calmas e serenas, exceto pelo refrão, onde o vocalista, Marcus Mumford, solta a voz e empolga qualquer um que estiver ouvindo. “Believe” e “Just Smoke” são grandes exemplos, com refrãos belíssimos e uma sonoridade incrível. A primeira música segue uma linearidade calma, mas quando chega aos dois minutos, surpreende alcançando um nível mais rápido e empolgante. É de arrepiar!

No entanto, o álbum se torna uniforme demais. É característico do grupo ter músicas que explodem quando chegam ao refrão, porém essa técnica se torna maçante ao longo do disco. As músicas se tornam repetitivas e, ao ouvir de primeira, fica difícil distinguir certas canções umas das outras.

Quanto às letras das músicas, o grupo surpreendeu. Apesentando um relacionamento profundo e conturbado em algumas músicas, “Believe” novamente se destaca com frases como “Say something, say something / Something like you love me / Less you want to move away / From the noise of this place” (Diga alguma coisa, diga alguma coisa / Tipo, que você me ama / Ao menos que você queira se afastar / Do barulho desse lugar”). Em “Just Smoke”, o sentimentalismo e sensibilidade afloram ainda mais com “I thought we were done / And young love would keep us young” (Eu pensei que tínhamos terminado / E amor jovem iria nos manter jovem).

Com alguns erros e muitos acertos, Mumford & Sons impressiona o mundo da música com o novo disco. Vale levar em consideração que esse é o primeiro álbum da banda no gênero musical rock alternativo, e para uma estreia, convenhamos: foi muito boa. Tirando a pressão e as críticas impostas por haver uma mudança no estilo das músicas, eles fizeram um ótimo trabalho.

E você, o que achou? Tire suas próprias conclusões ouvindo Wilder Mind e conta pra gente!





Facebook




Comentários